Vossa Excelência, o pau-mandado, por Rafael Dantas